• Blog
  • Como tratar melasma: o que fazer em cada caso?

Como tratar melasma: o que fazer em cada caso?

Se você busca respostas sobre como tratar melasma, saiba que a ADA TINA Italy preparou este conteúdo completo para te auxiliar na tarefa de deixar sua pele mais saudável e livre de manchas, tornado seus momentos de autocuidado cada vez mais frequentes.

Adiantamos que essa condição refere-se a manchas escuras e de aspecto acastanhado que ao longo do ciclo de vida acometem principalmente a face. Hoje é foco de estudos de especialistas da pele, mais ainda causa preocupações entre indivíduos que buscam entender sobre o assunto.
 Convidamos você a descobrir novos detalhes relacionados a esta condição, e fundamentalmente, os tratamentos mais indicados para cada caso: siga conosco nesta leitura e entenda como clarear melasma.

Entenda o processo: como tratar melasma?

Ao entender mais sobre suas causas, passamos a compreender também o seu processo de tratamento, que apesar de complexo em alguns casos, possui um ponto de partida simples: impedir os danos na pele causados pelo Sol – e consequentemente, a piora das manchas no rosto.

Entre as principais soluções, destacamos o cuidado para evitar outras agressões à pele já lesionada e com depósito de pigmento, responsável pela coloração escura. Se os raios solares vão agravar as manchas já existentes, assim como a incidência de luz visível, o primeiro passo necessário é evitar a exposição desprotegida.

Para isso, o uso de protetor solar de amplo alcance que possua tecnologia 12 horas de proteção sem a necessidade de reaplicação, é a maior contribuição que você poderá oferecer à sua saúde.
Nós da ADA TINA Italy ressaltamos também que a proteção contra os malefícios da luz azul, emitidas por telas, é importante e, para isso, recomenda-se o uso de protetores solares com ação e benefícios antioxidantes, sendo assim, existem produtos com eficácia comprovada para este tipo de proteção.

Se você quer descobrir mais sobre como clarear melasma, além de outras informações preciosas relacionadas a essas condições, confira logo abaixo.

Gradação do melasma: influências no tratamento

 Nesta hora a observação dos sinais castanhos na epiderme dão as respostas necessárias sobre como tratar melasma de maneira assertiva e com os melhores resultados aos tratamentos.
 Para facilitar o entendimento do assunto, nós trouxemos os tipos de melasma existentes, assim como os cuidados responsáveis por clareá-lo em cada caso. Descubra na sequência:

  • Melasma Grau 1– se trata de uma condição considerada superficial e recente, que surgiu a menos de 1 ano e apresenta manchas pequenas, de tons médio claro e que responde bem ao tratamento;
  • Melasma Grau 2– é detectado como profundo e antigo, visível a mais de 1 ano, que apresenta manchas grandes e de tons médio escuro, que responde ao tratamento de maneira um pouco mais lenta que no grau 1;
  • Melasma Grau 3– é profundo e muito antigo, sendo observado a mais de 5 anos e apresentando manchas muito escuras e de diversos tamanhos, que tem como característica alta resistência ao tratamento.

Reconhecemos então, que a exposição excessiva à radiação ultravioleta e o alto consumo de fontes luminosas visíveis são fatores desencadeantes relatados em estudos sobre o tema, mas afinal, como tratar corretamente a depender da gravidade?

Nós da ADA TINA Italy detalhamos as melhores soluções, veja na sequência!

É possível clarear melasma?

Com frequência, nos questionam aqui no blog se o melasma tem cura, e apesar de existirem casos em alta gravidade em que o tratamento é mais complexo e demandam maior tempo investido, em geral se detectado de maneira precoce e sendo direcionados os melhores cuidados, é possível clarear as manchas e oferecer à pele fatores de proteção necessários.
E por falar em tratamento adequado, apresentamos as principais indicações de como tratar a depender da gradação das manchas na pele que com o tempo se agravam: garanta o quanto antes os cuidados necessários.

Como tratar melasma segundo o Dr. Maurizio Pupo

O tratamento propriamente dito, é feito com o uso de clareadores, séruns, entre outros procedimentos como o microagulhamento com Vitamina C tópica sendo sempre associados a protetores solares adequados para tratamento.

Sobre como tratar a depender da gravidade dos sinais apresentados, confira abaixo:

  • Melasma grau 1

De acordo com a classificação do Especialista em Cosmetologia Maurizio Pupo, o Melasma Grau 1 é aquele de tom marrom mais claro, em dimensões menores que aparece em pequena quantidade e tende a ser mais superficial, ou seja, está na epiderme.

Nestes casos, segundo Pupo, o protocolo de tratamento recomendado é o seguinte: por se tratar de uma condição recente, é mais superficial e reponde bem aos cuidados. O ideal, portanto, é o uso combinado de Glycolic K em conjunto com o protetor Biosole Oxy FPS 50 na sequência, seja durante o dia ou à noite.

Após obter os resultados de clareamento esperados, aplique o Glycolic K na pele apenas à noite e mantenha o tratamento para evitar que as manchas escuras na epiderme voltem a aparecer.

  • Melasma grau 2

O Dr. Maurizio Pupo classifica ainda o Melasma Grau 2 como ocorrências mistas mais antigas – há mais de 1 ano na pele, presente tanto na derme quanto na epiderme, de tratamentos mais complexos através de agentes clareadores mais potentes, de possível assimilação.

O especialista indica nestes casos o uso do Pure C 20 Hyal aliado ao Biosole Oxy FPS 50, tanto de dia quanto durante a noite. Após conferir os resultados desejados em clarear, siga o tratamento porém com a aplicação do Pure C 20 Hyal apenas à noite mantendo sempre o Biosole Oxy FPS 50 pela manhã e a noite, de maneira preventiva.

  • Melasma grau 3

Por último temos as ocorrências de tratamento mais resistente, em que usuários de dermocosméticos já recorreram a opções sem que os efeitos de fato diminuíssem ou amenizassem a aparência das manchas escuras na pele.

Mas afinal de contas, é possível clarear o tipo 3? Apesar de mais complexos e de ocorrência profunda e antiga – há mais de 5 anos, existem bons indicadores para uso de C 20 Sérum durante o dia, seguido pelo Pure C FPS 50 para proteção.

Durante à noite, aplicar o Pure C 40 Ultra e na sequência o Pure C FPS 50. No caso das peles delicadas que estão enquadradas no Grau 3, pode substituir o Pure C 40 Ultra pela aplicação do Glycolic K duas vezes ao dia, mantendo sempre a proteção solar adequada.

Ressaltamos também que a proteção contra os malefícios da luz azul, emitidas por telas, é importante e, para isso, recomenda-se o uso de protetores solares com ação e benefícios antioxidantes inclusive em dias nublados.

Cuidado com o laser!

Os tratamentos com laser no rosto e até mesmo a utilização de luz pulsada para a remoção de pelos, podem sim potencializar o aparecimento de manchas. De acordo com pesquisas, o laser pode ser usado para tratar o melasma, mas também pode ser um dos possíveis agravantes.

A radiação pode causar a hiperpigmentação pós-inflamatória ou o aparecimento de manchas residuais na pele. Por isso, todos os procedimentos utilizando laser devem ser feitos com o acompanhamento de Médico Dermatologista.

Depois de remover a agressão e controlar a produção de pigmento, é possível optar por outros tratamentos para a redução da melanina já depositada na derme ou tratamentos para diminuir o processo inflamatório em si.

Agora que você conhece mais o que é e como tratar melasma, não deixe de manter os cuidados dermatológicos sempre em dia. Afinal, os efeitos não são somente estéticos, mas também são essenciais para a saúde da pele a longo prazo: não perca a oportunidade de oferecê-los à sua.

Conheça ainda como a Vitamina C pode auxiliar no tratamento clareador de manchas para o rosto conosco e continue nos acompanhando no blog para conferir os conteúdos semanalmente preparados especialmente para você!

Colunistas

Dr. Maurizio Pupo é Farmacêutico Pesquisador e Professor Especialista em Cosmetologia. Nascido em Calci (PI) Italia, é autor de vários livros na área cosmética como: Tratado de Fotoproteção, Luz Azul | Luz Visível e Impactos na Dermatologia, Difendiox® OPP's Antioxidantes Biologicamente Ativos e Estabilizados em Sistema Hydromicelar, entre outros. Além disso, é CEO e responsável pelo desenvolvimento dos produtos da renomada marca de dermocosméticos ADA TINA Italy.