ADA TINADoença de PeleManchas na PeleMelasmaPeleProteção SolarProtetor Solaruv

Melasma – Bronzeamento artificial causa melasma?

Rate this post

O bronzeamento artificial é uma prática bastante conhecida para quem busca um tom de pele mais bronzeado sem ficar se expondo por horas ao sol.

A grande questão é, o bronzeamento artificial pode causar o melasma na pele? Aqui vamos tirar essa dúvida com clareza explorando a relação entre o bronzeamento artificial e o melasma, para que você possa entender os riscos dessa prática e tomar decisões mais conscientes em relação à saúde da sua pele.

Reforçando, o que é melasma?

O melasma é uma condição comum que causa manchas escuras na pele especificamente do rosto, geralmente atinge a área das bochechas e testa, afetando principalmente as mulheres essa condição ocorre pela exposição solar prolongada sem proteção adequada.

Segundo o farmacêutico e especialista em cosmetologia, Dr. Maurizio Pupo: “O Brasil é um país tropical. Ele recebe uma quantidade de sol muitas vezes maior do que os países de clima temperado, é o chamado índice ultravioleta. Quem vive no Brasil é diariamente exposto a essa grande quantidade de radiação, causando danos acumulativos na pele. Esses problemas cutâneos são causados, ou pela falta de uso do protetor solar, ou porque usam produtos de má qualidade.”

Outros fatores podem contribuir para o aparecimento do melasma além da exposição à luz do sol, como a alteração nos níveis hormonais na gravidez por exemplo. A prevenção e controle do melasma deve ser feita através do uso de um bom protetor solar e até mesmo séruns clareadores de alta qualidade.

Como funciona o bronzeamento artificial?

Como foi dito no início, o bronzeamento artificial é um processo que permite obter um tom de pele mais bronzeado sem a exposição prolongada ao sol. Geralmente, é feito em salões especificados, que utilizam lâmpadas UVA próprias que estimulam a produção de melanina na pele (responsável pelo processo de bronzeamento natural quando exposto ao sol).

No bronzeamento artificial, a pele é exposta a uma quantidade controlada de luz UV que estimula a produção de melanina sem causar danos à pele. Existem diferentes tipos de bronzeamento artificial, incluindo spray tan, que utiliza uma solução com corantes alimentares para tingir a pele, e o uso de cremes ou loções autobronzeadoras, que contêm dihidroxiacetona (DHA), um composto que reage com a camada externa da pele e produz uma tonalidade bronzeada.

Embora o bronzeamento artificial seja uma opção conveniente para quem deseja uma pele mais bronzeada, é importante tomar precauções e entender os possíveis riscos associados a essa prática.

E então, causa melasma ou não?

pele com manchas

Muitas dúvidas surgem em relação aos efeitos do bronzeamento artificial na pele, inclusive se ele pode causar melasma ou não. De acordo com o Dr. Pupo: “A radiação UVA é uma radiação de comprimento longo, com alto poder de penetração na pele, que provoca muito dano ao DNA das células cutâneas. Além disso, ela estimula muito a formação de pigmento melânico, auxiliando no aparecimento de manchas escuras, inclusive o melasma. Portanto, o bronzeamento artificial é a receita perfeita para você ter um melasma grave ou resistente.

Além disso, é importante lembrar que o bronzeamento artificial pode causar outros problemas de pele, como envelhecimento precoce e aumento do risco de câncer de pele. 

Assim, é sempre recomendado tomar precauções ao se expor ao sol ou ao utilizar o bronzeamento artificial, utilizar produtos de proteção solar de qualidade para proteger a sua pele dos danos causados pela radiação UV.

Tags:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *