• Blog
  • Filtro solar impede a produção de vitamina D?

Filtro solar impede a produção de vitamina D?

Filtro solar impede a produção de vitamina D

Uma das maiores dúvidas que paira sobre usuários de protetores solares é se o uso diário destes produtos poderiam realmente inibir a produção de Vitamina D, um importante nutriente que tem ganhado grande destaque na comunidade científica internacional.

Para que Servem os Protetores Solares?

Protetores solares são produtos cosméticos destinados a proteger a pele da radiação excessiva emitida pelo sol prevenindo o envelhecimento precoce e o desenvolvimento dos mais variados tipos de câncer de pele, que atualmente são o tipo de câncer de maior incidência na humanidade. Inúmeros estudos científicos têm há décadas comprovado que o uso diário do protetor solar é a maneira mais segura, eficiente e econômica de proteger a pele contra rugas, marcas de expressão, manchas e flacidez além de proteger também contra os cânceres de pele do tipo Carcinoma Basocelular, Carcinoma Espinocelular e Melanoma Malígno.

Para que serve a Vitamina D?

A Vitamina D é um composto lipossolúvel que pode ser obtido através da alimentação – leite, queijos, peixes e cogumelos – e também pode ser sintetizada diretamente na pele pela ação da radiação solar. Lembrando ainda, que na atualidade a forma mais comum de reposição de Vitamina D tem se dado através da suplementação orientada por profissionais competentes. Antigamente relacionada apenas com a absorção de cálcio e saúde óssea, a Vitamina D tem extrapolado esta clássica função e demonstrado poder atuar de maneira benéfica nas mais variadas reações orgânicas, inclusive imunológicas, constituindo-se um excelente nutriente quando o assunto é prevenção de doenças e longevidade.

Como equilibrar filtro solar e vitamina D?

Ao mesmo tempo que alguns estudos mostram que a aplicação de protetores solares em toda a área corporal pode reduzir a síntese de Vitamina D na pele por ação do sol um enorme volume de outros estudos relatam a ação destrutiva desta radiação sobre as estruturas da pele relacionando o sol com o envelhecimento e o aparecimento do câncer de pele, como exposto anteriormente. Desta forma, o grande desafio da comunidade científica é equilibrar o uso do filtro solar diariamente com a manutenção de níveis suficientes de Vitamina D.

10 Minutos de sol podem ser suficientes para a Vitamina D

Um novíssimo estudo realizado na Espanha pela Universidade Politécnica de Valencia revelou que durante o verão espanhol – que se assemelha ou pode até ser inferior em quantidade de radiação solar ao verão brasileiro – bastam dez minutos de exposição solar, com 25% da área corporal exposta, para que a quantidade recomendada diária de Vitamina D seja sintetizada na pele. Desta forma, e tomando-se por base este estudo, podemos supor que pequenas quantidades de radiação quando incidem sobre pequenas áreas corporais já são suficientes para a produção dos níveis desejáveis deste importante nutriente, e que, tendo em vista os elevadíssimos riscos de câncer de pele a que somos expostos quando recebemos radiação solar sem proteção, o uso diário do protetor solar não deve ser dispensado mesmo porque outras fontes – alimentares e suplementares – de Vitamina D podem repor qualquer tipo de deficiência.

Colunistas

Dr. Maurizio Pupo é Farmacêutico Pesquisador e Professor Especialista em Cosmetologia. Nascido em Calci (PI) Italia, é autor de vários livros na área cosmética como: Tratado de Fotoproteção, Luz Azul | Luz Visível e Impactos na Dermatologia, Difendiox® OPP's Antioxidantes Biologicamente Ativos e Estabilizados em Sistema Hydromicelar, entre outros. Além disso, é CEO e responsável pelo desenvolvimento dos produtos da renomada marca de dermocosméticos ADA TINA Italy.