MelasmaTipos de Melasma

8 MITOS SOBRE O MELASMA

Você já deve ter ouvido falar sobre o melasma e suas formas de tratamento. O que você não sabe é que existem muitas mentiras e lendas sobre como cuidar dessa condição. Hoje você vai aprender quais são os mitos e verdades sobre o melasma, confira:

8 MITOS SOBRE O MELASMA

O que é melasma?

É um distúrbio cutâneo resultante da produção excessiva de melanina, que se caracteriza pela geração de manchas escuras na pele nas áreas mais expostas ao sol ou à atividade hormonal, como o rosto. Essa condição é o resultado da exposição excessiva ao sol ao longo dos anos, mas também está ligada à atividade hormonal.

Mitos sobre o melasma

1.       Gravidez causa melasma 

A gravidez não causa melasma. Ela, na verdade, pode agravar um melasma pré-existente, pois o único causador desse tipo de mancha é o sol. Segundo o farmacêutico e especialista em cosmetologia Dr. Maurizio Pupo, quando nós moramos em países ensolarados como o Brasil, a luz solar começa a destruir o DNA das células da nossa pele desde que somos crianças, ou por que não usamos protetor solar, ou porque usamos protetores solares de má qualidade: “Durante o período de gestação, temos o aumento dos hormônios femininos, principalmente o estrogênio. Esse hormônio transforma aquele melasma bem claro ou invisível, que já estava instalado na pele, e o agrava, fazendo então com que as manchas se tornem bastante escuras, dando a falsa sensação que o principal motivo foi a gravidez”, diz o especialista.

2.       A pílula anticoncepcional causa melasma

Pelo fato da pílula anticoncepcional conter o estrógeno, principal hormônio feminino, é um erro comum pensar que ele é um dos causadores dessa condição. Assim como no caso da gravidez, as pílulas contraceptivas podem também agravar um melasma que já existe na pele devido à exposição solar com pouca proteção ao longo dos anos.

3.       Água quente piora o melasma

Outro mito frequentemente espalhado é o de que banhos com água quente podem prejudicar o melasma. Isso é uma inverdade, pois a temperatura da água não aumenta a produção de melanina pelos melanócitos, que são as células que produzem esse pigmento. O vapor quente de água, muito comum em cozinhas, tampouco piora os efeitos do melasma, bem como a própria água quente, não causam e também nem agravam essa categoria de mancha.

4.       Secador de cabelo piora o melasma

Outro erro comum relacionado a temperatura e melasma é o de que o calor emitido pelo secador de cabelo na pele pode causar ou agravar essa condição. Sabemos que muitas pessoas com esse tipo de mancha podem se preocupar com os efeitos de fatores ambientais, como o calor e a temperatura, mas assim como a água quente, o secador de cabelo não emite radiação solar, não tendo impacto nenhum sobre o melasma.

5.       O melasma só atinge mulheres acima de 40 anos

Engana-se quem pensa que o melasma é formado a partir dos 40 anos em mulheres. Pelo fato de morarmos no Brasil, somos constantemente expostos à grandes quantidades de radiação solar desde que somos crianças. “Quando uma mulher chega na faixa dos 20 anos de idade, já pode estar com o DNA da pele bem danificado, deixando visíveis as manchas de melasma desde cedo”, afirma Dr. Maurizio Pupo.

6.       A luz do celular causa melasma

Segundo o Dr. Pupo, as luzes oriundas das telas de celulares e computadores não causam melasma, pois emitem uma radiação de baixa intensidade. Contudo, podem agravá-lo: “A luz azul sozinha não tem o poder para causar danos ao DNA das células da pele e provocar o melasma, mas tem capacidade para escurecer uma mancha que às vezes estava ali, oculta, muito clarinha e imperceptível”, completa.

7.       O peeling funciona para tratar o melasma

Depende. Na maioria das vezes o peeling agride a pele gerando inflamações, e a tendência do melasma é piorar. O ideal é evitar procedimentos agressivos que apresentam risco de inflamação. A solução para tratar o melasma com esses procedimentos é acompanhar o processo com uma boa rotina de skincare, pois os produtos que você usa na sua rotina vão clarear as possíveis manchas formadas ou agravadas por esses procedimentos.

8.       Homens não tem melasma

Os homens podem sim ter melasma. A diferença é que, como o homem tem menos fatores agravantes, o melasma na pele masculina costuma aparecer após os 40 anos. Na pele da mulher, devido a fatores agravantes, pode aparecer a partir dos 20 anos. Também existem casos de homens que tomam hormônios no tratamento de certos tipos de câncer, com mais propensão a adquirir o melasma precocemente.

Produtos indicados para o tratamento do melasma

A Ada Tina possui uma extensa gama de produtos para o tratamento do melasma. Os séruns, associados a filtros solares, são um ótimo meio de clarear as manchas escuras e se proteger contra a radiação solar, prevenindo futuros melasmas.

Opções de clareadores:

O Clarivis TX é um Sérum Ultra Clareador com tripla ação clareadora formulado com Ácido Tranexâmico, Niacinamida e Alfa-Arbutin, indicado para clarear manchas escuras da pele inclusive melasma grau 2 e grau 3, além de manchas de acne e manchas de sol.

Clarivis TX

Outra indicação de sérum é o Clarivis Nia10, um sérum clareador formulado com Niacinamida e Ácido Hialurônico, indicado para clarear manchas escuras da pele, inclusive melasma grau 1.

Opções de protetor solar:

Para garantir a proteção solar e clarear a pele, o Biosole Oxy FPS 50 combate 15 tipos de manchas e possui textura leve, toque seco, além de conter 12 horas de proteção solar e 24 horas de proteção anti-melasma.

Biosole Oxy FPS 50

O Soleize Mineral FPS 66 com cor é outra opção para proteção solar. Ele é um filtro solar físico anti-melasma com efeito matte e toque seco, formulado com filtros minerais e alta proteção anti UVA e UVB, prevenindo manchas escuras e melasma com 12 horas de proteção. Além disso, por possuir cor, ele se adapta aos diversos tipos de pele, homogeneizando seu tom com efeito natural e instantâneo.

+ Confira 10 produtos que ajudam a clarear manchas, inclusive o melasma!

Tags:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *